Mãe, você é o Papai Noel?

A carta abaixo é real e foi trocada entre uma menina chamada Lucy e sua mãe, Martha Brockenbrough. A menina escreveu um bilhete para a mãe onde perguntava: “Preciso saber. Você é o Papai Noel? Conte-me a verdade.”

A carta foi publicada pelo New York Times (original em inglês aqui) e é uma linda reflexão sobre o mito do Papai Noel e uma inspiração sobre como lidar com o momento do fim dessa fantasia. Afinal, o que realmente importa é que as crianças entendam o verdadeiro espírito do Natal: a renovação da fé, do amor e da esperança, representados pela figura de um menino que nasce nesse dia.

Feliz Natal!

Mae, voce e o Papai Noel

Querida Lucy,

Obrigada por sua carta. Você fez uma pergunta muito boa: “Você é o Papai Noel?”

Eu sei que você queria uma resposta para esta questão por muito tempo e eu tive que pensar cuidadosamente para saber exatamente o que dizer.

A resposta é não. Eu não sou Papai Noel. Não há um Papai Noel.

Eu sou a pessoa que enche suas meias com presentes. Eu também escolho e embrulho os presentes sob a árvore, da mesma forma que minha mãe fez para mim e da mesma forma que a mãe dela fez por ela. (E sim, papai ajuda também.)

Eu imagino que algum dia você vai fazer isso para os seus filhos e eu sei que você vai adorar vê-los correr escadas abaixo na manhã de Natal. Você vai adorar vê-los sentarem-se sob a árvore, seus pequenos rostos iluminados pelas luzes de Natal.

No entanto, isso não vai fazer de você Papai Noel.

Papai Noel é maior do que qualquer pessoa e seu trabalho acontece a mais tempo do que qualquer um de nós viveu. O que ele faz é simples, mas poderoso. Ele ensina as crianças a ter crença em algo que eles não podem ver ou tocar.

É um grande e importante trabalho. Ao longo de sua vida, você vai precisar desta capacidade de acreditar: em si mesmo, em seus amigos, em seus talentos e em sua família. Você também vai precisar acreditar em coisas que você não pode medir ou mesmo segurar em sua mão.

Aqui, eu estou falando sobre o amor, o grande poder que iluminará sua vida de dentro para fora, mesmo durante os seus momentos mais sombrios.

Papai Noel é um professor e eu tenho sido sua aluna e agora você sabe o segredo de como ele desce por todas aquelas chaminés na véspera de Natal: ele tem a ajuda de todas as pessoas cujos corações ele encheu de alegria.

Com o coração cheio, pessoas como papai e eu fizeram sua parte ajudando o Papai Noel a fazer um trabalho que de outra forma seria impossível.

Então, não. Eu não sou Papai Noel. Papai Noel é amor e magia, esperança e felicidade. Eu faço parte de sua equipe e agora você também.

Eu te amo e sempre te amarei.
Mamãe

E viva o Papai Noel!!!

Natal … Shopping e ruas de compras abarrotadas de pessoas. Decorações caprichadas, reunião de família, amigos. Todos buscando se confraternizar e cuidando de detalhes como comida, lembranças, doações.

santa (1)

Temos  experimentado ao longo de nossas vidas o prazer de acreditar na existência  do velhinho que traz presentes para todos independente de sua classe social ou raça nos  remetendo ao pensamento de sermos iguais enquanto seres humanos. Este sentimento de igualdade, aliado a alegria e beleza deste momento, tem seu reflexo  nas muitas manifestações de boas ações.

Como este velhinho é poderoso!

Gordinho, barbudo, com bochechas rosadas, um sorriso no rosto e uma grande  disponibilidade para atender aos mais diversos pedidos feitos pelas criaturinhas mais cheias de inocência e conhecedoras precoces de que sempre se é reconhecido pelo bom comportamento. Com frequência  ouvimos os pequenos justificarem serem merecedores de seus brinquedos por terem sido obedientes, estudiosos, etc… Os pequenos já começam a incorporar o sentido da troca.

Acredito que o Natal continuará a ser uma festa de muitas e muitas gerações. É preciso insistir em repetir rituais que nos lembrem da nossa condição de habitantes de uma terra. Toda mudança ocorrida e que está por vir depende somente de nós.

As crianças tem necessidade de repetir certas histórias para que possam acrescentar significado as  suas percepções. Como pais sabemos também que para que um valor seja incorporado pelas mesmas, precisamos insistir em repetir orientações e ações.