Seja produtiva, vença o tempo!

Você vive olhando no relógio e o seu tempo passa rápido demais? Seus dias são “muito curtos”? Fica estressada, desgastada?

Mais um ano chegando ao fim e mais uma vez você passou vários momentos dele reclamando insistentemente que “não tem tempo” ?!

Reclamar é pedir com toda força, é afirmar que você realmente quer com toda vontade alguma coisa, então cuidado com o que reclama!

Quanto mais você reclama que não tem tempo mais ele fica escasso, o seu dia fica caótico e improdutivo e realmente sempre vai faltar tempo.

produtividade 1

Qual o motivo disso ocorrer?

Você “pediu ao mundo” que faltasse tempo (reclamou) e ele lhe devolveu o que pediu, e isso ocorre com coisas boas e coisas ruins (aquelas nossas reclamações, lamentações e pensamentos negativos),  isso tem um nome, Lei da Atração.

Nossa vida é corrida sim, fazemos várias coisas ao mesmo tempo, muitas vezes a impressão que tempo é que realmente precisamos de mais horas, mas isso não é verdade, na maioria dos casos o que nos falta é planejamento e organização!

Como explicar a produtividade excepcional de muitos e “falta de tempo” de outros se todos nós temos 24 horas em nosso dia?!

Sempre ouvi que o tempo somos nós quem fazemos e é a verdade mais absoluta que conheço, acredite!

produtividade 2

Dicas importantes

  • Durma bem, acorde cedo, se alimente bem e beba bastante água!
  • Se dedique a sua carreira, “vista a camisa”, porém não esqueça de sua vida pessoal. Separe de 30 a 40 minutos diariamente para você: para seu autoconhecimento (leituras, cursos, etc.) e para seu lazer: com coisas que proporcionem satisfação, relaxamento, meditação e contato com a família, seus filhos!
  • Faça: pare de deixar de lado tudo que é mais difícil ou que você não gostar (isso se chama Procrastinação). É difícil planejamos 100% de nossas rotinas, pois sempre aparecem tarefas extras, mas existem atividades diárias, com data para entrega ou agendadas, liste-as, organize-as, levando sempre as prioridades em consideração.  Pense em problemas como desafios, pare de usar desculpas e resolva-os!

Não reclame mais, pense em soluções, considere novas possibilidades, equilibre seus pensamentos, e suas relações. Sorria, se divirta, agradeça por mais um dia e por tudo que conquistou! Reze, e medite, independentemente de sua religião.

Tudo isso parece complicado, mas é um exercício diário, depende do seu empenho, de sua organização e foco para dar certo!

Faça o teste e  seja mais produtivo, contemple os resultados em sua carreira e na vida pessoal, aproveite este novo ano, inicie “vida nova”, faça a diferença para você mesmo!

Educando crianças felizes

A photo by Ben White. unsplash.com/photos/4K2lIP0zc_k

Adorei a entrevista publicada pela revista Veja com a psicóloga e escritora Jessica Joelle Alexander. Americana, Jessica é professora na Europa e casada com um dinamarquês. Ao ter seu primeiro filho, ela passou a aprender sobre o jeito de educar dos dinamarqueses, povo que sempre está no topo das listas dos mais felizes do mundo.

Agendas lotadas de cursos e atividades extra-curriculares não têm vez por lá, já que um dos pilares do jeito de educar dinamarquês é a brincadeira. Criança tem que ter tempo livre para se divertir. Segundo Jessica “a brincadeira desenvolve empatia, estratégias de negociação e até a habilidade para lidar com o stress, quando situações relativamente perigosas se apresentam. Então, ao brincar, eles desenvolvem a resiliência, que é um dos componentes importantíssimos para a felicidade”.

Outro ponto super interessante é o tempo em família. Quando estão juntos, há uma regra implícita, respeitada por adultos e crianças, que proíbe celulares & cia, reclamações, fofocas e qualquer outro assunto polêmico, valorizando o tal conceito de tempo de qualidade, tão falado nesses dias de hoje em que o tempo virou bem preciosíssimo.

Jessica também conta de forma muito honesta que não tinha dom natural para ser mãe, mas que aprendeu com os dinamarqueses que a vulnerabilidade é o que nos conecta uns aos outros. Julgar menos e apoiar mais (já falamos disso por aqui) e incentivar a criação de grupos de mães é uma ótima forma de se socializar e superar os desafios que vêm junto com os filhos.

A entrevista completa com Jessica Joelle Alexander está nesse link. E para quem se animar, o livro Crianças Dinamarquesas pode ser comprado aqui.