Tchau, Michelle

Ela é uma primeira-dama engajada e atuante. Semanas antes das Olimpíadas Michelle Obama esteve nas notícias. Como restam apenas alguns meses na Casa Branca os Obama foram à mídia para fazer o “balanço” dos quase oito anos de governo. Nas entrevistas, Michelle aproveitava para divulgar o projeto Let Girls Learn, que assegura educação para meninas em áreas de conflitos e crise. Outro bafafá deu ainda mais credibilidade a Michele: um suposto plágio de um discurso que ela dera em 2008 foi “inspiração” para a esposa do candidato a presidência, Melania Trump. Ela também incentivou uma alimentação equilibrada com frutas e verduras nas escolas e também estimulou a América do Norte a sair do sedentarismo. Já comentei aqui no blog sobre o Let’s Move.

Michelle

O jornalista Osny Tavares compartilhou na sua página de facebook e transcrevo a reflexão: “Se os Obamas tivessem um arroubo kirshnerista e resolvessem que Michelle seria a candidata, a eleição estava resolvida em 15 minutos. Primeira-dama mais popular desde Jackie Kennedy, ela representa um impulso modernizador deste “cargo”, consolidando um caminho traçado também por Hillary Clinton. As primeiras-damas deixaram de ser figuras cerimoniais e decorativas para se imporem como mulheres críticas, inteligentes, e independentes – parceiras profissionais e de relacionamento cuja sensibilidade ajuda a construir agendas públicas em importantes questões morais e sociais”.

Obamas bye

Michelle é o retrato da mulher moderna: mãe, profissional e linda seja ela branca, negra, amarela ou parda! Meu colega jornalista disse muito bem, além de esposa, ela é parceira de Barack Obama. Eles se conheceram em um escritório de advocacia, em Chicago. Obama era estagiário de Michelle. O presidente já revelou que a palavra final para que ele se candidatasse à presidência foi de Michelle, sem o apoio da esposa ele não teria seguido, pois sabia que a consequência de uma decisão como essa afetaria a família inteira. A velha história de que por trás de um grande homem existe uma grande mulher. Obviamente, essa imagem de família, esposa, mãe, mulher perfeita existe um trabalho de relações públicas muito bem feito, mas sem verdade não há credibilidade! E todas as ações dos Obama parecem ser bastante verdadeiras e inspiradoras. Tão verdadeira que nesse vídeo ela comenta que vai se sentir aliviada a não ter que seguir protocolos presidenciais em 2017. Michelle deixa um legado e tanto para o título de primeira-dama, afinal qual delas assumiria que sete anos e meio de luxo é bastante, que é capaz de fazer o próprio sanduíche de queijo; ou qual delas canta ou já cantou Stevie Wonder e Beyonce para todo mundo ver?

 

Official White House Photo by Pete Souza

O perigo nos Estados Unidos

O perigo nos Estados Unidos

Sabe aquele medo de ter o carro roubado, ser assaltado a mão armada na frente de casa ou ser sequestrado? Aqui eu não tenho. Em compensação… as histórias de atiradores loucos por aí em escolas, aeroportos, shoppings e restaurantes são de tirar o sono! O medo de uma doença muito séria e não ter dinheiro suficiente para pagar o tratamento e sobreviver; o medo de o telefone tocar de madrugada com notícias tristes de familiares no Brasil; o pânico dos ataques terroristas e o medo da fúria da natureza com os tornados e furacões. São medos e perigos corriqueiros completamente diferente dos que existem no Brasil, mas mesmo assim muito reais e assustadores. Tanto que quando alguns desses fatos acontecem viram notícia no mundo inteiro.

Um dos conselhos que recebi ao chegar no Texas foi em relação ao trânsito. Ser “pianinho”e não arranjar encrenca com os carros ao redor, mesmo que você esteja certa, porque não sabemos se o camarada possui uma arma na cintura e qualquer situação que o tire do sério vira risco de vida. Para você.  A facilidade para o porte de arma tem suas consequências (outro tema de post!). Dá uma olhada nesse gráfico do jornal Los Angeles Times:

Deadliest shooting rampages

Fonte: http://timelines.latimes.com/deadliest-shooting-rampages/

Já os medos de doença e da natureza são, relativamente, administráveis. Como somos expatriados temos um respaldo da empresa com plano de saúde, mesmo assim a co-participação e mensalidades são muito caras, por isso, a medicina preventiva é essencial para quem vive aqui. A piadinha entre os brasileiros é que se acontecer algo muito sério existe o plano Tam. Pega o primeiro avião e corre fazer o tratamento no Brasil.

O kit de sobrevivência com o manual sobre como agir nas temporadas de furacão também ajuda. Entre junho e novembro é recomendado, por exemplo, ter comida enlatada, água e itens de higiene em estoque. Um amigo americano nos contou que quando o furacão Ike passou por Houston, em 2008, eles ficaram cinco dias sem água e luz e tiveram que usar, em comunidade, o fogão do salão de festas (o único a gás). Isso tudo na região central da cidade. Ele e a família eram um dos únicos moradores do condomínio que tinham enlatados e comida “fresca” na geladeira e precisavam cozinhá-la para não estragar. Os vizinhos iam para o salão e em troca de comida davam vinho, única coisa que os jovens casais e solteiros tinham em casa. E mais, perder a casa e o carro por enchentes também se vê por aqui. A Cruz Vermelha tem uma guia que você pode acessar aqui.

Nos últimos seis meses meu irmão teve dois carros roubados em Curitiba. Dificilmente esse tipo de roubo vai acontecer nos Estados Unidos, porém, alguém entrar na sua casa vazia e roubar seus pertences é relativamente comum. Sempre que há roubo dentro de casas ou carro que ficam em condomínio fechado a administração é obrigada a reportar o acontecido para os moradores e conto que em quase cinco anos vivendo aqui já li esse comunicado, pelo menos, umas oito vezes.

Carta de aviso sobre roubo

Carta sobre aviso de roubo

Por isso, quando você ouvir: – Ah, mas em país de primeiro mundo essas coisas não acontecem! Não caia na besteira de generalizar! Essas “coisas” não acontecem, mas outras tão ruim quanto sim.

 

 

 

 

25 coisas egoístas que as mães deveriam fazer

25 coisas egoistas que as maes deveriam fazer por si

Ter filhos pequenos é quase sinônimo de não ter tempo para nada. Junte ao trabalho que é cuidar dos filhos os cuidados com a casa e a carreira e logo a gente se vê naquelas situações em que nós mesmas viramos a última prioridade de nossas vidas. Li um artigo no site Pop Sugar que fala sobre 25 coisas egoístas que as mães deveriam fazer por si próprias. Mas sejamos sinceras, não há nada de egoísta em dedicar um tempo para si própria, afinal, toda a família se beneficia de ter por perto uma mãe mais feliz e reluzente. Adaptei as sugestões ao nosso contexto brasileiro para que você se inspire a, pelo menos às vezes, dedicar um tempo para você sem se sentir culpada por isso.

  1. Saia com suas amigas.
  2. Contrate uma babá para que você possa dormir um pouco.
  3. Guarde alguma guloseima para você mesma comer.
  4. Coloque as crianças mais cedo na cama para que você possa assistir seu programa de TV favorito
  5. Falte a reunião de pais para fazer as unhas (apenas uma vez, se você estiver desesperadamente precisando de um tempo para si própria)
  6. Desligue o Discovery Kids para assistir ou ouvir alguma música que você goste
  7. Prepare as suas comidas favoritas em vez do prato preferido dos seus filhos.
  8. Chame os avós (ou amigos ou vizinhos) para uma festa do pijama para que você possa ter uma boa noite de sono.
  9. Tranque a porta do quarto para que você e seu parceiro possam ter algum tempo de privacidade.
  10. Tranque a porta do banheiro para que você pode fazer xixi em paz.
  11. Se ainda há apenas uma colher de sorvete no pote, finja que tudo acabou assim você pode comê-lo.
  12. Gaste o seu tempo livre lendo algo que lhe interessa – não um artigo sobre maternidade nem uma notícia, mas algo que você realmente queira ler.
  13. Tire um tempo para exercitar diariamente.
  14. Troque o tempo de exercício para se sentar em um café e ver o mundo passar.
  15. Compre um acessório bonito para você, ao invés de mais 10 acessórios de brinquedo para sua filha.
  16. Tire um dia de folga no trabalho e se dê de presente um day-spa.
  17. Sente-se em sua casa vazia e aproveite o silêncio, sem pensar em limpeza, arrumação ou qualquer outra obrigação doméstica.
  18. Apague alguns programas infantis do gravador digital para dar espaço para os seus shows.
  19. Mande as crianças brincarem no quintal ou lá embaixo e aproveite por alguns minutos os quartos que você acabou de limpar.
  20. Aproveite uma viagem de trabalho, pois inclui um jantar tranquilo e dormir sozinha.
  21. Faça uma massagem em um dia comum.
  22. Cancele os planos de cozinhar e peça uma pizza se você teve um dia longo ou díficil.
  23. Ignore a lista de tarefas por uma hora e desfrute momentos de paz e tranquilidade enquanto as crianças estão na escola.
  24. Encontre uma desculpa para sair e vestir suas roupas mais bonitas.
  25. Encontre tempo para um hobby que não tenha nada a ver com o trabalho ou seus filhos – só porque você quer se divertir.

MAIS: Vale Night

Um abraço, por favor

Esses tempos ligaram da escola avisando que Gabriel não estava muito bem e um pouco febril. Foi a segunda vez que vivi essa sensação, coração acelerado pulando no peito e: “larga tudo o que está fazendo e corre para escola”. Chegando lá, ele estava no parquinho, amoado, triste, quieto e de mãos dadas com a professora. Volta e meia penso como teria sido se eu tivesse visto essa cena no Brasil. Provavelmente a professora, a auxiliar ou  até a tia da limpeza estariam com ele no colo, aninhando, abraçando e acalmando. Isso que sou do sul! Lugar que as pessoas são consideradas meio “frias”. Essa é uma das coisas que, ao menos para mim, dói um pouco na cultura americana. Essa individualidade, frieza, empáfia. Ui.

Na primeira escola que Gabriel frequentou vi pouco essa “frieza”, porque das 3 professoras da sala, duas eram latino americanas, sangue quente correndo nas veias. A Tereza, venezuelana, fofa, que adorava e dava muito colo para o meu filho e a Ana, uma senhora mexicana que podia muito bem ser a avó do Gabriel. Agora é diferente, os latinos nessa área são minoria. A atitude da professora foi totalmente normal, mas quando se trata de filhos sempre esperamos mais! Depois disso até presenciei um outro momento de abraço e beijo roubado, mas é diferente.

Maternidade Hoje, abraço, escola americana, escola nos Estados Unidos, escola brasileira, escola no Brasil

Imagem: Daria Ratliff

É tudo muito distante da realidade da qual se vive no Brasil com abraços, beijinhos e carinho, muitas vezes, por demais. Não sei se fui exceção, mas várias amigas já tinham me contado dessa falta de calor humano nas escolas. Pode ser que tenha dado azar no dia, escolhido a escola errada, sei lá, mas no fundo acho que não. É apenas mais um daqueles choques de cultura mesmo, que com o tempo a gente acaba acostumando. Um abraço, por favor?

7 dicas para estar sempre linda

Todo mundo conhece pelo menos uma mulher incrível, que mesmo super atarefada consegue se manter linda e elegante. Qual o segredo dessas mulheres? Como podemos manter um estilo adequado, bonito e ao mesmo tempo prático para a vida atribulada de quem é mãe, profissional e dona de casa? A Personal Stylist Fê Luchesi dá 7 dicas incríveis para mulheres com manhãs super atribuladas mas que não abrem mão de estarem sempre lindas!

1. Planejamento

Escolha o look no dia anterior, pois assim  não perderá tempo com isso e poderá se maquiar ou dar atenção aos filhotes.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje

2. Charme extra

Procure usar a regra da terceira peça: parte de baixo, de cima e uma extra, que poderá ser um colete, blazer, echarpe ou um belo colar. Isso trará interesse visual na produção!

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje, colete, colete alongado

3. Ponto focal

Sempre tenha em mente que umas das peças deve dar um upgrade no visual. O upgrade pode ser feito com cor, estampa, textura ou tamanho do acessório.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje, Isabella Fiorentino, maxi colar

4. Invista na bolsa

Use uma bolsa estruturada e com um tamanho bom para caber suas coisas e algo da criança. Esse formato trás elegância e formalidade, deixando o look mais chique. Procure uma cor menos convencional, caso você já tenha outra neutra.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje, bolsa vermelha

5. Blazer curinga

Compre um bom blazer, que poderá ser usado com quase tudo. Linhas retas e mais estruturado, de preferência de uma cor não muito óbvia como o preto.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje; Isabella Fiorentino, blazer

6. Conforto e elegância 

Tenha um bom sapato de salto mais grosso, que lhe trará mais estabilidade. Preste muita atenção para a manutenção deles. Leve no sapateiro se o salto, bico ou algo estiver gasto.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje

7. Make leve

A maquiagem pode ser feita no carro, ônibus, metrô, a caminho do trabalho, ou ao chegar vá no banheiro e pronto! Aos poucos irá criar prática e será cada vez mais rápido. Ela é imprescindível! Algo básico, rímel, lápis, blush e batonzinho para finalizar.

Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje, maquiagem, maquiagem rápida


Mamãe elegante, mãe elegante, roupa de trabalho, maternidade hoje

Fê Luchesi é Personal Stylist e fundadora da Pro Style Coach, empresa de Consultoria de Imagem & Estilo, formada em Nova York pela FIT (Fashion Institute of Technology).


Créditos→Peças: OQVestir, Street Style: Isabella Fiorentino e Pinterest, Maquiagem: Base em Pó MAC, Máscara Maybelline, Batom Revlon e Blush MAC.

Se alguma imagem utilizada neste blog for de sua autoria, por favor entre em contato e envie seus dados que incluímos os créditos. Nós respeitamos as regras de direitos autorais.

If You see a picture with no name here and You are the author, please contact us and send the info for proper credits. We respect the copyrights.