Meu filho vai fazer exame e agora?

Meu filho vai fazer exame e agora

É fato que qualquer tipo de exame causa medo e muita apreensão nas crianças e também é verdade que é um momento difícil para nós pais também!

Quando as crianças são bem pequenas e não falam ainda conseguimos contornar melhor a situação com muito carinho mas e depois que crescem?!

Que começam a entender e a reconhecer quando chegam no estacionamento ou na porta do laboratório que ali é o lugar de fazer exame e não querem nem entrar, como fazer?!

Perguntas como se vai doer, se vai demorar e como vai ser são comuns, devido a curiosidade mas principalmente pelo medo, que é o personagem principal neste cenário de realização de exames.

Participei de um evento no Laboratório Delboni na unidade modelo de Pediatria do Itaim Bibi e durante a conversa as responsáveis explicaram que a melhor postura que os pais  podem adotar nesta situação (que é o que sempre fiz com meu pequeno mesmo quando ele ainda nem falava) é explicar que é preciso fazer o exame, quais serão as etapas mas que vai ser rápido e que a mamãe sempre estará ao lado apoiando e acompanhando!

E se eles perguntarem se vai doer?!

Sempre fui muito sincera com meu filho em tudo e nesta situação sempre disse que a verdade, que sim (e todos os pais devem fazer o mesmo), mas que seria rápido com apenas uma picadinha (no caso do exame de sangue), mas que eu estaria lá para segurar a mãozinha dele. Isso gera muito conforto e confiança para a criança ao saber que estaremos junto deles.

Para nós pais e mães é extremamente desconfortável observar nossos pequenos apreensivos, sofrendo e com medo e muitas de nos até choram junto com eles.

Minha orientação nesta situação é que a calma seja mantida, mesmo que estejamos com o coração super apertado e partido, com tanto medo quanto eles e com uma imensa vontade de chorar, que não deixemos nada disso aparente, pois assim passamos segurança e confiança para os nossos pequenos e pequenas.

Nosso carinho, proximidade e tom de voz suave com palavras de conforto e ternura no momento do exame, também são muito importantes para dar o aconchego e amor essenciais neste momento para eles!

Fiquei encantada realmente com a estrutura que o Delboni apresentou em sua unidade modelo durante a apresentação, e as técnicas que aplicam para auxiliar os médicos e enfermeiros na redução do medo, da ansiedade e da angústia de crianças e pais durante os exames laboratoriais e de imagem.

Além da estrutura física que era extremamente atraente para os pequenos com brinquedos e paredes decoradas com personagens de desenhos, questionei as responsáveis se as demais unidades deles, mesmo não sendo específicas para pediatria teriam este tratamento todo diferenciado como lá.

As responsáveis prontamente informaram que toda a equipe de todas as unidades que eram direcionadas para os exames infantis recebiam um treinamento específico para terem atenção especial a este público e que existiria um espaço também com brinquedos e decorado em cada local.

 

Como meu pequeno tinha exames para serem realizados resolvi ver como isso funcionava na prática e foi uma experiência incrível!

Na recepção o tratamento foi convencional (mas como não era uma unidade específica para Pediatria não levei em consideração até porque fomos bem atendidos), quando fomos direcionados ao setor do exame infantil nos deparamos realmente com os brinquedos, personagens e o mais importante com uma equipe super atenciosa, paciente e carinhosa!

Mesmo em uma sala toda decorada com  personagens meu pequeno não queria fazer o exame.

As enfermeiras perceberam a resistência dele e começaram a explicar como seria o exame, colocando a seringa e a agulha como se fossem bichinhos (“a borboletinha que precisava pegar o mel porque estava com fome”) e a contar historinhas. Também deram a ele uma bexiga de luva cirúrgica, brincaram com ele e com toda a paciência do mundo conseguiram coletar o sangue dele sem nenhuma lágrima foi maravilhoso!

Depois de tudo isso ele ainda saiu da sala com um “Certificado de  Coragem” de personagem e sendo elogiadíssimo por elas pela sua coragem e ele saiu de lá se sentindo um “super herói”, contando com orgulho de sua experiência, coragem e mostrando para todos que via seu “troféu”: o certificado!

Realmente tratar situações de estresse, desconforto e medo com carinho, paciência, atenção e de maneira lúdica faz toda diferença. A ideia de todo este cuidado é que nossos pequenos passem por estas situações com o mínimo possível de estresse e sem maiores traumas e que seus pais não se sintam culpados e desconfortáveis com esta situação, além de retirar da cabecinha deles os “fantasmas do medo”!


Vanessa Mello, mãe do Kaique de 06 anos, empresária e proprietária da Angel´s Psico, apoio Psicológico a mamães e noivas.

Empodere-se e se redescubra

Maternidade Hoje_empodere-se e se redescubra

Primeiramente gostaria de dar meu depoimento: sou uma mulher super Empoderada, muito feliz com o que sou, orgulhosa pelo que já fui e persistente e focada no que ainda quero e vou ser!

Para que possamos começar a repensar nossas ações e pensamentos devemos primeiro entender o conceito de Empoderar que se refere a dar ou concentrar poder ou domínio para você e para o próximo, de ter a consciência de sua importância, de seu posicionamento e papel na sociedade para que assim lute por todos os seus direitos.

A Onu instituiu os Sete Princípios de Empoderamento das Mulheres que defendem a igualdade dos gêneros tanto no ambiente corporativo como na sociedade em todos os níveis, onde homens e mulheres devem ser tratados de maneira justa e com respeito, sem que exista a discriminação.

Estes princípios defendem também o desenvolvimento da mulher através da educação e do empreendedorismo, enfim, destaca a igualdade de gêneros, de direitos e o papel da mulher na sociedade.

Sabemos que existe ainda muita desigualdade entre homens e mulheres, no ambiente corporativo, na política e em nosso papel na sociedade, mas buscar o nosso espaço, mostrar sempre que somos capazes, que fazemos a diferença é o primeiro passo para garantir nosso destaque neste cenário!

Hoje muitas mulheres são empresárias e ocupam cargos e lugares na sociedade que anteriormente eram dominados por homens, então muitas coisas já mudaram e muitas ainda mudarão!

Falar sobre Empoderamento é maravilhoso afinal, todas nós mulheres somos poderosas:
super mães, profissionais, esposas, donas de casa e super competentes em tudo que fazemos!
Nos desdobramos em 1.000 todos os dias para cuidar de nossa família, trabalho, casa, mercado, filhos, parceiros, farmácia, mais trabalho, ufa, o palco da vida nos traz tantos papéis e damos conta?

É claro que sim! E ainda falam que somos o “sexo frágil”, mas na realidade somos maravilhosas e batalhadoras, delicadas sim e não frágeis!

Poucas horas de sono, muita preocupação, muita dedicação, muito carinho é depositado em tudo que fazemos e ainda ficamos alertas 25 horas por dia!

Existe um grande problema em sermos tão multitarefas e ocuparmos tantos papéis assim durante o nosso dia e nossas vidas: muitas de nós se esquecem do principal papel, da atriz principal deste palco: NÓS MESMAS!

Maternidade Hoje_empodere-se e se redescubra2
Muitas mulheres com a correria, a maternidade, o trabalho e todos os afazeres diários se esquecem delas mesmas, de sua autoconfiança, de seu amor próprio, de carinhos e cuidados pessoais e acabam se tornando depressivas, desanimadas e a autoestima fica muito, mas muito abalada ou por um fio da inexistência.

Quando elas nos procuram buscam seu autoconhecimento, retomar sua autoestima, organizar suas rotinas para terem mais tempo para elas e à cima de tudo se reencontrar!

Mostramos para cada uma destas mulheres através de diversas técnicas o quanto elas são capazes, poderosas, maravilhosas em tudo que se dispõe a fazer e lindas, sim lindas!

Padrões são impostos pela sociedade, mas cada uma de nós tem sua beleza interna e externa, todas nós temos defeitos e o direito de errar, afinal somos humanas mesmo que “super mulheres” e devemos sempre perceber que nossas qualidades superam tudo!

Se cultivarmos sempre pensamentos positivos, soubermos reconhecer nosso potencial, nosso papel, nossas qualidades e deixarmos nossas crenças limitantes, medos e barreiras impostas por nós mesmas de lado, nosso brilho para o mundo lá fora irá refletir!

Se eu me vejo maravilhosa o mundo me enxerga EXCEPCIONAL!

A maior dica que posso dar a você é pensar positivo, pois atraímos o que pensamos e acreditar que é capaz, não desistir de seus sonhos e de seus ideais nunca!

Você é responsável pelas suas escolhas, pela sua vida e você pode e merece tudo que desejar, lutar é essencial, assim como errar e acertar faz parte da vida de todos nós!

Separe pelo menos 15 minutos por dia para você, ame mais, se cobre menos e tenha uma vida mais leve, pense nisso!


Vanessa Mello, empresária, proprietária da Angel´s Psico, mãe do Kaique de 06 anos, casada a mais de 15 anos, Empoderada e super feliz!

Preciso mudar de cidade. E agora?

PRECISO MUDAR DE CIDADE E AGORA 1

Muitas profissionais viajam constantemente, sua rotina não permite horários fixos de trabalho e precisam em diferentes momentos deixar seus pequenos conviverem com sua ausência por períodos curtos ou prolongados.

Algumas empresas apresentam em sua estrutura filiais em diferentes estados e fazem propostas para as profissionais que se destacam, para assumirem cargos mais estratégicos, com maiores remunerações e benefícios irrecusáveis mas com uma exigência básica: a mudança de cidade.

Mesmo entendendo que esta é uma oportunidade ímpar e sentindo-se muito motivada, quando nos tornamos mães começamos a ponderar muitas coisas não é?

A insegurança quanto ao nosso sucesso no novo desafio existe é claro, mas nosso maior receio é quanto a adaptação da nossa família e principalmente como nosso pequeno reagirá a nova fase.

Antes de qualquer decisão, entenda de maneira clara o que a empresa esperará de você e o que você pode esperar quanto a suporte para esta mudança e as oportunidades para sua carreira a curto, médio e longo prazo. Deixe claro seus pontos de vista e condições.

Avaliar se realmente esta mudança valerá a pena para você e sua família é importante, esta decisão certamente tirará algumas noites de sono!

PRECISO MUDAR DE CIDADE E AGORA 2

Alguns cuidados são importantes neste processo:

– A decisão deve ser tomada em conjunto com seu companheiro(a) e ponderados todos os pontos positivos e negativos;

– Avaliar como ficará a carreira de seu companheiro(a), afinal, independente da oportunidade excepcional para você é importante pensar na satisfação dele e no campo de trabalho e oportunidades que ele terá na nova cidade;

– Checar a estrutura do local quanto a moradia, comércio, qualidade de vida e à cima de tudo para seu pequeno.

Para os casais, a mudança deve ser apoiada por seu companheiro(a) incondicionalmente, pois isso será importante para o bem estar do casal, onde o consenso não gerará arrependimentos e nem cobranças futuras.

Lembre-se que crianças se adaptam com muito mais facilidade a mudanças e novidades do que nós adultos e que se encantam com aprendizados, novos lugares e contato com crianças que não conhecem.

Existem oportunidades que são imperdíveis, mas uma mudança realizada com planejamento e tranquilidade será essencial e a segurança na decisão mostrará ao seu pequeno que tudo está bem e que esta nova fase será o melhor para toda família.

Acredite sempre no apoio de sua família e no amor que existe entre vocês e principalmente na sua simbiose com seu pequeno! Explique tudo para ele independentemente da idade que tenha, deixando ele acompanhar todas as etapas da mudança.

Tudo resolvido e acertado, abrace com todo seu potencial este novo desafio, arrume as malas e boa viagem!

Carreira x Filho Doente – Como lidar com esta situação?

CARREIRA X FILHO DOENTE- COMO LIDAR COM ESTA SITUAÇÃO

Imprevistos acontecem é claro, principalmente quando temos pequenos em casa! Lidar com nossos filhos doentes faz parte de nossa rotina de mães.

O que se torna complicado para nós é lidar com esta situação dentro do ambiente corporativo, pois a possibilidade de ausência nos traz a insegurança de que podemos perder nosso lugar na organização ou anular uma possibilidade de promoção ou desenvolvimento.

O fato é que seremos nós que sempre deveremos traçaremos o plano para esta situação, e temos algumas alternativas:

  • Apoio de alguém de confiança- Buscar apoio com algum familiar ou contratar alguém de confiança por alguns dias para olhar nossos pequenos é uma boa solução. Com esta solução conseguimos manter nossa rotina no trabalho e monitorar por telefone ou mensagem como estão as coisas em casa. Com este planejamento ficaremos seguras de que nossos pequenos estão sendo bem cuidados, pois estão com alguém de nossa confiança e manteremos as rotinas normalmente no trabalho;

 

  • Trabalho home office- Em algumas empresas atuar alguns dias em casa já é estabelecido, mas caso não seja o caso da organização onde atua um acordo com seu gestor será necessário. A situação deve ser explicada de maneira clara, mostrando que não existe a possibilidade de outra pessoa ficar cuidando de seu pequeno. A ideia não é deixar de trabalhar por alguns dias e sim transferir suas rotinas para a sua casa, fazendo relatórios, contatando clientes e respondendo e-mails diariamente. Este planejamento mostrará ao seu gestor sua dedicação mesmo em situações difíceis para você.

 

  • Solicitar adiantamento de dias de férias- Dependendo do que seu pequeno tiver, da gravidade, a saída é entrar em um acordo com o gestor para solicitar adiantamento dos seus dias de férias. O que está ocorrendo deverá ser explicado em detalhes, para que seja justificada sua decisão por esta opção, assim, você conseguirá dar dedicação total aos cuidados com seu pequeno com tranquilidade.

CARREIRA X FILHO DOENTE- COMO LIDAR COM ESTA SITUAÇÃO 2

Independente da estratégia definida por você, o importante é ser bem transparente com seu gestor, pois mesmo deixando alguém de confiança responsável pelos cuidados com o seu filho, poderão existir alguns momento onde você precisará se deslocar para leva-lo ao médico ou ao pronto-atendimento.

Como sempre sinalizei, ser transparente com seu gestor e sempre mostrar sua dedicação e preocupação com suas rotinas na organização é uma boa opção para manter as rotinas com sua família e a sua carreira em equilíbrio perfeito!

Tudo que falei parece ser muito obvio, porém quando estamos com nossos pequenos doentes não conseguimos planejar, nossa mente se volta 100% a eles, por isso vale a pena sempre lembrar dos passos a serem adotados!

 

 

 

Mamães de Asas: viajando sem meu filho, e agora?

Mamãe de asas-viajando sem meu filho

Chega um momento da carreira da profissional que ela precisa retornar a rotina ou “abraçar” novos desafios em prol de seu desenvolvimento, eis que surge a necessidade de realizar viagens a trabalho, mas como lidar com esta situação após a maternidade?

O primeiro passo é não se sentir culpada, é lembrar que você não será nem a primeira e nem a última mãe nesta situação e que seu filho com o passar do tempo entenderá!

Muitas profissionais já viajavam bastante antes da maternidade e já estavam até acostumadas com a distância de casa, mas agora tendo seu(s) filho(s) esta rotina pode se tornar muito difícil.

O vínculo mãe e filho só se intensifica cada vez mais com o passar do tempo, e é por este motivo que as ausências ficam cada dia mais difíceis, assim como a solicitação pela presença e por mais momentos com a mamãe é maior.

Se as viagens fazem parte de sua rotina de trabalho então à única saída é se acostumar com elas! Algumas dicas são bem vindas para que estes momentos sejam menos difíceis:

Converse francamente – Independente da idade de seu filho, a conversa sincera é a melhor solução. Explique o motivo de sua ausência, mostrando que para você também será difícil ficar longe.

Mostre que retornará- Deixe bem claro que retornará! Pense em uma maneira de auxilia-lo na contagem do tempo (um calendário para ir assinalando é uma solução lúdica e que mostrará que você está chegando), para reduzir a ansiedade de seu filho! Se for pequeno, apenas mostre que voltará!

Não perca o contato– Durante o tempo que estiver ausente, contate seu filho diariamente. Atualmente existem diversas ferramentas ( celular , tablet , redes sociais ) que apoiam este contato com seu pequeno.  Caso não tenha esta possibilidade, mande ao menos uma mensagem diária no celular do seu marido ou familiar que está cuidando dele para ele escutar sua voz.

Atividades- Mamãe e Pequeno – Combine com a criança atividades para ela fazer na sua ausência. Desta maneira, ficará algo para fazerem juntos no seu retorno (desenhar no calendário, fazer um desenho para você, aprender uma história para contar, etc.). O importante é que você veja junto com a criança o que ela fez!

Organize sua ausência- Pense em quem vai leva-lo a escola e às atividades “extras”, a festinhas, encontros, enfim,  alinhe com o responsável de forma que o  seu pequeno  não saia da  rotina dele, e que suas atividades sejam mantidas dentro do possível.

Apoio da família- O carinho do pai, dos avós,  de parentes próximos deve ser potencializado na sua ausência, para que a criança sinta o menos possível e para que seu comportamento não se altere na escola ou no dia-a-dia.

Planeje algo especial– Pense em algo gostoso, intenso e diferente para fazer com seu filho em seu retorno e fique perto dele o maior tempo que conseguir, brinque, se divirta com ele!

Sei que esta rotina de viagens é complicada depois da maternidade, mas também entendo que ela seja necessária para a maioria das profissionais hoje em dia, mesmo que as ausências não sejam frequentes, um dia ela poderá acontecer e você deve estar preparada!

Mamãe de asas-viajando sem meu filho 2

O importante é sempre mostrar para o seu filho o quanto o ama e que não está o abandonando, que estas ausências fazem parte do seu trabalho e o quanto é maravilhoso voltar para casa e estar novamente ao lado dele!