6 habilidades que toda mãe deveria incluir em seu currículo

Conciliar maternidade e carreira, em especial no início da vida de um filho, não é tarefa fácil. Muitas mulheres optam por uma pausa no trabalho ou desaceleram suas ambições de carreira, como uma forma de se adaptar ao novo momento de vida. E quando é hora de voltar, como explicar esse período? Como “desempregada”? Parece ruim, não? Se você vive esse drama, divirta-se com o texto abaixo! Apesar de uma sátira, ele é carregado de verdades que podem inspirar algumas boas ideias para seu curriculum e próxima entrevista de emprego.

Mães que estudam


Traduzido de texto original publicado por Dra. Amanda G. Riojas em fairygoodboss.com

Caro(a) gerente de contratação:

Você pode ter notado que alguns anos não constam em meu currículo. Depois de receber meu diploma e passar vários anos explorando com sucesso uma carreira profissional, descobri que era mais econômico deixar minha posição anterior e optar por afastar-me de meu trabalho para me tornar mãe. Agora, meu bebê está começando uma creche e descobri que sou mais apaixonada do que nunca pela ideia de retornar à minha carreira. E gostaria de incluir as algumas novas habilidades no meu currículo:

Multitarefa

  • Capaz de realizar vários projetos simultaneamente
  • Amamentar enquanto executa operações complexas no computador
  • Exemplo de projeto: tarefas domésticas concluídas com um bebê gritando no sling

Altamente organizada

  • Projetos gerenciados com alta atenção aos detalhes, incluindo:
    • Lavagem em abundância de roupas minúsculas e paninhos
    • Lavagem das mesmas roupas e panos quando eles inevitavelmente acabam no pior momento possível
    • Acompanhamento de mudanças na fralda e observação detalhada do conteúdo delas
    • Garantir a alimentação do bebê (anteriormente citado como “bebê gritando”) nos horários corretos

Trabalho sob pressão

  • Especializada em realizar tarefas com pouco ou nenhum sono
  • Capaz de passar a noite em claro quando necessário
  • Especialmente experiente em acordar a cada 2-3 horas

Trabalho em equipe

  • Muitas vezes trabalhou com apoio e suporte de um parceiro
  • Capaz de avaliar situações difíceis e solicitar ajuda quando necessário (ver referência: Avó)

Nota: depois de ter dificuldade em voltar a trabalhar após me tornar mãe, escolhi dedicar-me à maternidade. Embora isso fosse simultaneamente muito difícil e pessoalmente gratificante, meus filhos começaram a escola primária e agora me sinto mais apaixonada do que nunca pela ideia de retornar à minha carreira. Além das habilidades que ganhei ao cuidar de uma criança, destaco estas habilidades adicionais:

Tato e Capacidade de Decisão

  • Tomar decisões rápidas com o objetivo de maximizar o potencial de resolução de problemas e evitar conflitos
  • Qualificada em rápido julgamento sobre adequação de atividades para a criança
  • Exemplo de projeto: a criança deve comer bolhas de sabão no banho?
  • Exemplo de projeto: a criança gritando deve receber biscoito de maizena extra para a sobremesa?

Mestre em Negociação

  • Especialista em acordos e negociações comerciais
  • Especialmente adepta do uso de diversão e distração para obter uma vantagem e minimizar a arbitragem em curso

Estou entusiasmada com o trabalho que está sendo feito em sua empresa e acredito que essas habilidades seriam um ativo importante para seus projetos em andamento. Obrigada pelo seu tempo e atenção. Aguardo contato.

Atenciosamente,

Melhor Mãe do Mundo

Brinquedos: reduzir, reutilizar e reciclar

Pergunte por aí: com exceção das famílias muito carentes, quase toda mãe/pai vai dizer seu filho tem brinquedos demais. É uma realidade de nossos tempos: crianças com uma quantidade enorme de brinquedos. O lado bom disso é que cada vez mais crianças têm acesso a brinquedos. Mas haja planeta e espaço em casa para tudo isso!

Menos brinquedos mais brincadeiras

E aí vale lembrar os famosos 3 Rs da sustentabilidade: reduzir, reutilizar e reciclar.

Já falamos por aqui sobre reduzir, em Menos Brinquedos, Mais Brincadeiras e reutilizar em Brinquedo de papelão  e 8 brincadeiras super divertidas para o fim de semana com chuva. E vale lembrar: é fundamental educar as crianças para que elas entendam que o consumo excessivo tem implicações econômicas e para o meio ambiente. Nós, adultos, temos a responsabilidade de ensinar e dar exemplo. É importante “educar” também avós, tios, padrinhos e companhia para que entendam o lado B de agradar a criança com mais um brinquedinho.

E quando for hora de realmente descartar um brinquedo que já não serve para a sua ou para outras crianças, tenha atenção especial ao descarte de pilhas e baterias. No Brasil, os sites made in forest e e-lixo.org são boas fontes para saber onde descartar esses materiais corretamente.

Colaborar com a preservação do planeta e do futuro de nossas crianças é um grande legado. Vamos pensar nisso antes de comprar o próximo brinquedo.

 

 

 

 

 

 

Chá de fraldas diy do Davi Lucca

Nossos posts sobre Chá de Fraldas são hits aqui no blog. E a gente adora quando alguém conta que usou em sua festa uma ideia daqui. Foi o caso do chá do bebê Davi Lucca, organizado pela sua prima Thaiane Picoli Tomazelli, estudante de Direito de 19 anos, que vive em Barão de Cotegipe, uma pequena cidade do Rio Grande do Sul. Tudo foi feito no melhor estilo diy/faça você mesmo, com inspirações que a gente já compartilhou por aqui. A mamãe Elisângela também participou dos preparativos.

Para as brincadeiras, baby bingo e adivinhar o tamanho da barriga:

Chá de fraldas Davi Lucca - bingo

Decoração inspirada aqui no blog, com bolo de fraldas castelo:

Inspire-se também:

10 passos para organizar seu chá de bebê ou chá de fraldas

15 ideias incríveis para inovar no bolo de fraldas

Chá de bebê – De Livros

Chá de bebê tema Princesa

Brincadeiras para chá de fraldas

Nosso perfil no Pinterest também está recheado de inspirações!

Brinquedos e estereótipos

Já falamos por aqui sobre a polêmica em torno da definição de brinquedos de meninos e brinquedos de meninas. Recentemente, a BBC fez uma reportagem/experimento muito interessante: dois bebês, um menino e uma menina, tiveram suas roupas trocadas entre si, ou seja, o bebê ficou vestido como menina e a bebê usava roupas de menino.

Um grupo de adultos voluntários passava alguns minutos brincando com cada um dos bebês, sem saber da troca. Em todos os casos, eles ofereciam apenas bonecas e pelúcias para o bebê vestido de menina. Já para a bebê vestida como menino, foram oferecidos brinquedos de estímulo motor. O interessante é que o menino aceitou bem as bonecas e pelúcias e a menina também gostou dos carrinhos e brinquedos de montar oferecidos a ela.

Ou seja, nós adultos induzimos as crianças a brincar com determinado tipo de brinquedo com base no gênero, tirando das crianças a oportunidade de desenvolver determinadas habilidades durante a brincadeira.

Naturalmente, chega o momento em que as crianças começam a expressar suas preferências, mas não é preciso apressar nada, porque isso pode prejudicar o desenvolvimento de habilidades importantes, como, por exemplo, o desenvolvimento motor e inteligência espacial das meninas. Por isso, vale prestar atenção nesse ponto, para que nossas crianças possam brincar livremente e se desenvolver ao máximo!

Para assistir à reportagem, clique na imagem abaixo:

BBC- brinquedos e esteriotipos

 

 

As lições de Sheryl Sandberg

capa1n_claudia

Nesse mês, a revista Claudia trouxe na capa um rosto pouco conhecido. Sheryl Sandberg não é atriz da Globo, nem modelo famosa, tampouco estrela do último filme de Hollywood. É a executiva chefe de operações do Facebook. E uma das mulheres que eu mais admiro.

Sheryl já se destacaria por ser uma das mulheres mais bem-sucedidas do mundo da tecnologia. Mas é mais do que isso. Ela se destaca também por ter uma capacidade de empatia extraordinária. Seus períodos de maior sucesso e de maior dor se transformaram em projetos incríveis para desenvolver outras pessoas.

Executiva de [muito] sucesso, Sheryl percebeu a ausência de outras mulheres em posições de liderança. Tomou para si a bandeira do aumento de líderes mulheres e criou um projeto de desenvolvimento feminino extraordinário. Compartilho aqui o TED Talk feito por ela sobre porque ainda vemos tão poucas líderes mulheres. A palestra é um resumo do seu livro Faça Acontecer – Mulheres, Trabalho e A Vontade de Liderar. Também recomendo a visita ao portal LeanIn.org (em inglês), fundado por ela e fonte quase inesgotável de materiais e inspirações de carreira.

Há dois anos atrás, a vida de Sheryl sofreu uma reviravolta: ela perdeu seu marido, vítima de um infarto fulminante. Se viu sozinha, mergulhada na dor, com suas duas crianças órfãs de pai. A mulher poderosa estava sem chão. Recuperar as forças após a tragédia não foi fácil, mas mais uma vez, Sheryl transformou sua história em algo maior. Escreveu o livro Plano B e criou uma comunidade virtual, optionb.org, onde pessoas que lutam contra suas tragédias pessoais trocam experiências e se ajudam mutuamente.

Ao responder à revista sobre o que espera da sua vida agora, ela responde: “Viver cada dia. Ajudar a construir a comunidade Plano B, ajudar meus filhos a serem tudo o que puderem ser. Dizer a outras pessoas que as coisas vão melhorar. Mergulhar na dor, sempre que ela aparecer, e tentar encontrar alegria em todos os outros momentos.”