Meu filho vai fazer exame e agora?

Meu filho vai fazer exame e agora

É fato que qualquer tipo de exame causa medo e muita apreensão nas crianças e também é verdade que é um momento difícil para nós pais também!

Quando as crianças são bem pequenas e não falam ainda conseguimos contornar melhor a situação com muito carinho mas e depois que crescem?!

Que começam a entender e a reconhecer quando chegam no estacionamento ou na porta do laboratório que ali é o lugar de fazer exame e não querem nem entrar, como fazer?!

Perguntas como se vai doer, se vai demorar e como vai ser são comuns, devido a curiosidade mas principalmente pelo medo, que é o personagem principal neste cenário de realização de exames.

Participei de um evento no Laboratório Delboni na unidade modelo de Pediatria do Itaim Bibi e durante a conversa as responsáveis explicaram que a melhor postura que os pais  podem adotar nesta situação (que é o que sempre fiz com meu pequeno mesmo quando ele ainda nem falava) é explicar que é preciso fazer o exame, quais serão as etapas mas que vai ser rápido e que a mamãe sempre estará ao lado apoiando e acompanhando!

E se eles perguntarem se vai doer?!

Sempre fui muito sincera com meu filho em tudo e nesta situação sempre disse que a verdade, que sim (e todos os pais devem fazer o mesmo), mas que seria rápido com apenas uma picadinha (no caso do exame de sangue), mas que eu estaria lá para segurar a mãozinha dele. Isso gera muito conforto e confiança para a criança ao saber que estaremos junto deles.

Para nós pais e mães é extremamente desconfortável observar nossos pequenos apreensivos, sofrendo e com medo e muitas de nos até choram junto com eles.

Minha orientação nesta situação é que a calma seja mantida, mesmo que estejamos com o coração super apertado e partido, com tanto medo quanto eles e com uma imensa vontade de chorar, que não deixemos nada disso aparente, pois assim passamos segurança e confiança para os nossos pequenos e pequenas.

Nosso carinho, proximidade e tom de voz suave com palavras de conforto e ternura no momento do exame, também são muito importantes para dar o aconchego e amor essenciais neste momento para eles!

Fiquei encantada realmente com a estrutura que o Delboni apresentou em sua unidade modelo durante a apresentação, e as técnicas que aplicam para auxiliar os médicos e enfermeiros na redução do medo, da ansiedade e da angústia de crianças e pais durante os exames laboratoriais e de imagem.

Além da estrutura física que era extremamente atraente para os pequenos com brinquedos e paredes decoradas com personagens de desenhos, questionei as responsáveis se as demais unidades deles, mesmo não sendo específicas para pediatria teriam este tratamento todo diferenciado como lá.

As responsáveis prontamente informaram que toda a equipe de todas as unidades que eram direcionadas para os exames infantis recebiam um treinamento específico para terem atenção especial a este público e que existiria um espaço também com brinquedos e decorado em cada local.

 

Como meu pequeno tinha exames para serem realizados resolvi ver como isso funcionava na prática e foi uma experiência incrível!

Na recepção o tratamento foi convencional (mas como não era uma unidade específica para Pediatria não levei em consideração até porque fomos bem atendidos), quando fomos direcionados ao setor do exame infantil nos deparamos realmente com os brinquedos, personagens e o mais importante com uma equipe super atenciosa, paciente e carinhosa!

Mesmo em uma sala toda decorada com  personagens meu pequeno não queria fazer o exame.

As enfermeiras perceberam a resistência dele e começaram a explicar como seria o exame, colocando a seringa e a agulha como se fossem bichinhos (“a borboletinha que precisava pegar o mel porque estava com fome”) e a contar historinhas. Também deram a ele uma bexiga de luva cirúrgica, brincaram com ele e com toda a paciência do mundo conseguiram coletar o sangue dele sem nenhuma lágrima foi maravilhoso!

Depois de tudo isso ele ainda saiu da sala com um “Certificado de  Coragem” de personagem e sendo elogiadíssimo por elas pela sua coragem e ele saiu de lá se sentindo um “super herói”, contando com orgulho de sua experiência, coragem e mostrando para todos que via seu “troféu”: o certificado!

Realmente tratar situações de estresse, desconforto e medo com carinho, paciência, atenção e de maneira lúdica faz toda diferença. A ideia de todo este cuidado é que nossos pequenos passem por estas situações com o mínimo possível de estresse e sem maiores traumas e que seus pais não se sintam culpados e desconfortáveis com esta situação, além de retirar da cabecinha deles os “fantasmas do medo”!


Vanessa Mello, mãe do Kaique de 06 anos, empresária e proprietária da Angel´s Psico, apoio Psicológico a mamães e noivas.

Um comentário sobre “Meu filho vai fazer exame e agora?

  1. Você comentou tudo o que mães tem dúvidas.
    Esta clareza de pensamentos e com todo cuidado e amor que devemos ter, faz com que os receios dos adultos de levarem os pequenos em qual o laboratório diferenciado que realmente podemos confiar o cuidado com nossos amores.
    Parabéns Vanessa por esta explanação tão clara.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s