Depressão Pós Parto

Muitas mulheres que são ou serão mamães já devem ter ouvido falar em depressão pós-parto, também conhecido como baby-blues. Geralmente são sentimentos que parecem tristeza frente ao nascimento de um filho.

Como não ficar alegre diante da realidade de se tornar cuidadora de um ser desejado, saudável, bonitinho?

Depressão pós parto

Organicamente, a depressão experimentada neste momento é explicada pela variação hormonal inerente a este estado. Olhando pelo lado emocional, receber um filho implica em muitas mudanças na vida da progenitora e de seus familiares.

Logo depois que a mulher deixa a maternidade e vai para casa, é comum que a rotina nos primeiros dias fique bastante afetada: as várias mamadas do bebê, o pouco tempo de sono da mãe, os cuidados com o próprio corpo, as constantes visitas, os choros do pequeno, etc. Estas circunstâncias podem provocar a sensação por exemplo de perda de controle da vida culminando em certo desolamento.

Algumas mudanças de fato ocorrerão:

  • Alterações na vida social e de trabalho;
  • Relacionamento com parceiro e filhos: ocorre um estremecimento por restar pouca energia para estes.

Com frequência, estas transformações ocasionam sentimentos de culpa nesta mulher que pode associar todos estes fatos  a dúvida de seus sentimentos de amor pela sua criança e por vezes levar a rejeição ao mesmo.

Não existe uma receita para evitar que estes pensamentos ocorram. Este é um período que apesar do caos, precisa ser vivido e administrado de forma a se ficar confortável e confiante para adaptação à nova vida.

Algumas dicas que talvez possam ajudar no resgate do controle da situação:

  • Conte com a ajuda de pessoas que possam ajudar nas tarefas domésticas
  • Peça ajuda aos familiares para ajudarem nos cuidados com o bebê
  • Arrume um tempinho só para si mesma (como por exemplo: tomar um banho com calma)
  • Pense que este é um momento pontual e não durará para sempre
  • Confie na intuição e bom senso daquela que prepara um pedacinho seu…
  • E se sentir que essas dicas não te ajudaram a superar a depressão, não tenha medo ou vergonha e procure ajuda profissional

Muitos serão os conselhos e até mesmo palpites em relação aos mais diversos assuntos relacionados ao novo serzinho. Acredite na sua certeza de dar aquilo que tem de melhor para este pequeno.

Se algo não der certo, corrija. Ser mãe, pai e filho será um aprendizado para o resto da vida.