Controlando adolescentes – Mãe Hacker

Cada mãe sabe o filho que tem, certo? Na minha época de adolescente o controle que os meus pais tinham era ler escondido os meus diários e escutar na extensão do telefone o meu papo de horas e horas com as amigas (Ah! Eles também viam a conta no final do mês). Meu filho ainda não está nessa fase, mas volta e meia me pego imaginando. A teoria diz que o melhor é o diálago tanto para prevenir , quanto para remediar, mas vamos combinar, tem assunto que na adolescência é indigesto ter com pai e mãe. E ser adolescente no século XXI é sinônimo de estar online o tempo inteiro e, na maioria das vezes, saber mais de informática e internet que os próprios pais.

Mãe Hacker

Imagem: Flick Summer Skyes 11

Esses dias uma amiga, mãe de adolescente, narrou a situação que estava tendo com o filho. Com a ajuda de um aplicativo ela virou uma verdadeira detetiva. A tecnologia a ajudou a ter acesso a TODAS as mensagens de texto de celular e outros aplicativos. Em um único dia esse adolescente chegou a trocar mais de 42 páginas de mensagens. Essa mãe hacker evitou que o filho cometesse um crime federal, aqui nos Estados Unidos, e crime também no Brasil. Falsificação de identidade, o filho seria o contato de um falsicador para a venda de carteiras com data adulterada para estudantes de uma escola de Ensino Médio inteira! Para quem não sabe, maior idade aqui é só aos 21. Apenas aí é que dá para comprar bebida alcólica, cigarro e sair na balada.

Já me contaram que uma das maiores preocupações dos pais de adolescentes são as amizades, uma laranja podre pode contaminar um saco inteiro. Enfim, essa história de fuçar a vida do filho e controlar todos os passos funcionou para essa família e evitou um crime. E para a sua, seria a solução?


Leia também: Recomendações da Academia Americana de Pediatria sobre o tempo online das crianças