Recomendações da Academia Americana de Pediatria sobre o tempo online das crianças

Durante anos, a Academia Americana de Pediatria (AAP) recomendou que crianças com menos de dois anos de idade não tivessem nenhuma exposição a televisão ou a dispositivos como tablets e celulares. Para crianças mais velhas, a AAP recomendava limitar o uso desses dispositivos a no máximo duas horas por dia. Nessa semana, as diretrizes foram alteradas e digamos que se tornaram menos “radicais”.

Crianças online

O fato é que a tecnologia e a Internet são hoje parte integrante de nossas vidas. A grande questão para nós, pais, é como, quanto e quando as crianças podem usá-la. E a AAP nos ajuda nessa tarefa, com as seguintes recomendações para o uso de Internet, jogos e aplicativos:

Online é apenas um outro ambiente. As crianças fazem as mesmas coisas que sempre fizeram, apenas virtualmente. Como qualquer ambiente, a mídia pode ter efeitos positivos e negativos.

A forma de ser mãe/pai não mudou. As mesmas regras se aplicam para ser pai ou mãe em ambientes reais ou virtuais. Pais e mães devem brincar com seus filhos, estabelecer limites, ensinar bondade, envolver-se e conhecer os amigos e lugares frequentados por seus filhos, sejam eles reais ou virtuais.

Ser modelo para seus filhos é fundamental. É preciso limitar o seu próprio tempo online, até para estar atento e presente com os filhos e família longe de telas.

Aprendemos uns com os outros. Pesquisas em neurociência mostram que crianças muito pequenas aprendem melhor através de uma comunicação de mão dupla, ou seja, é preciso interação entre cuidador e criança para o desenvolvimento da linguagem. Apresentações de vídeo passivos não colaboram com o aprendizado. Por outro lado, experiências interativas, como conversar online com o pai que está viajando, tem valor educacional, especialmente após os dois anos de idade.

Atenção ao conteúdo. A qualidade do conteúdo é mais importante do que o dispositivo ou o tempo gasto com meios de comunicação. Priorize como seu filho gasta seu tempo em vez de apenas limitar o tempo para a atividade online.

Curadoria ajuda. Mais de 80.000 aplicativos são rotulados como educacionais, mas há pouca pesquisa que valide a qualidade deles. Nos Estados Unidos, a Common Sense Media faz revisões de aplicativos, jogos e programas por idade. No Brasil, a revista Crescer também tem uma lista de aplicativos recomendados.

Participação. A participação da família no uso da mídia facilita a interação social e aprendizagem. Jogar um jogo junto com seus filhos influencia a forma como eles compreendem a sua experiência de mídia. Para bebês e crianças, acompanhamento no uso dos aplicativos e conteúdo online é essencial.

Brincar é importante. Brincar de forma não estruturada estimula a criatividade. Priorize o tempo diário de brincadeiras “offline”, especialmente para os menorzinhos.

Estabeleça limites. O tempo online, como todas as outras atividades, deve ter limites razoáveis. O uso da tecnologia ajuda ou dificulta a participação do seu filho em outras atividades? Avalie e limite com base na sua observação.

Tudo bem que seu filho adolescente esteja online. Relacionamentos online são parte integrante do desenvolvimento do adolescente. A mídia social pode apoiar a formação de identidade. Ensine seu filho adolescente comportamentos adequados que se aplicam em ambos os mundos, real e online. Peça aos adolescentes que mostrem o que estão fazendo online para ajudar você a entender o conteúdo e contexto.

Criar zonas livres de tecnologia. Preserve o horário das refeições da família. Recarregue os dispositivos durante a noite fora do quarto das crianças. Essas ações incentivam o tempo da família, além de hábitos alimentares e de sono mais saudáveis.

Crianças são crianças. As crianças vão cometer erros usando a mídia. Estes podem ser momentos de ensino se tratados com empatia. Certos comportamentos, no entanto, como relacionados à sexualidade ou agressão, sinalizam uma necessidade de avaliar outros comportamentos de risco do jovem.

Leia também: Navegando Com Segurança no You Tube

Fonte: Academia America de Pediatria

Um comentário sobre “Recomendações da Academia Americana de Pediatria sobre o tempo online das crianças

  1. Pingback: Controlando adolescentes – Mãe Hacker | maternidade hoje

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s