Carta de um avô

Para afagar o coração de todos os vovôs e vovós que leem o MH.

Para comemorar o dia deles a carta de um vovô apaixonado.


Por João de Paula

O neto ou neta, é um ato de Deus!

A neta ou neto, é sangue do seu sangue.

Ele chega quando você já viveu um bocado de tempo: para uns quarenta anos, para outros cinquenta e, alguns, mais tempo ainda!

A chegada de uma neta ou neto, nada mais é do que uma criança que lhe foi devolvida para que você desfrute com enlevo, arrebatamento, esse novo ser que veio à vida e que lhe traz muita alegria e satisfação! É um amor irrestrito, total!

A vinda de um neto faz-nos recordar das viagens, de quando os filhos eram crianças, em que queriam ir no banco da frente do carro, às vezes brigavam, comiam bolachas, bebiam água e, nas paradas, era necessário a limpeza interna do automóvel, tal a bagunça que faziam!

Por isso, a neta ou neto, é a resposta da hora esperada, do carinho acumulado, que toda avó e avô aguardam para dar a essa criatura especial, um amor sem limites e que lhes trazem alegrias sem fim!

Maternidade Hoje, avó, neto

Imagem: Dária Ratliff

A chegada dessa criança, principalmente se for a primeira ou primeiro na família, é por demais emocionante. A espera é angustiante, contam-se os dias, contam-se as horas!

Sua chegada bagunça a cabeça da avó e do avô!

Longe de ser um estranho, traz alguns traços genéticos seus, que podem ser o formato da boca, nariz, orelha, cor dos olhos, do cabelo, enfim, semelhanças inconfundíveis que irão perpetuar sua espécie! Isso é gratificante.

O amor que se passa a dedicar a essa criaturinha encantadora é irrestrito. Não tem limites.

Imagina-se que Deus nos dá o neto para compensar as agruras, as dificuldades, as incompreensões, as desilusões que a vida nos traz. É uma compensação. E que compensação!

O sorriso dessa criança enche-lhe os recônditos da alma, trazendo a você uma paz imensa, reconfortante. É um amor novo, que apareceu de repente e toma conta de tudo! É maravilhoso!

Os avós trazem presentes, levam para passear, nunca dão bronca, contam estórias e repetem quantas vezes forem necessárias; deixam o neto se lambuzar com o sorvete ou pirulito. Com o avô não há linha divisória entre o permitido e o proibido: dormir sem lavar as mãos e até dormir sem banho, pode! Acender e apagar as luzes dezenas de vezes, pode. Riscar com lápis ou caneta a parede, o sofá e até a tevê, pode!
Maternidade Hoje, avô, neto

Imagem: Dária Ratliff

Dormir uma noite em sua casa é um prêmio, uma aventura de valor incalculável para você.

Levá-lo para passear, de mãos dadas, pelas vizinhanças para mostrar-lhe cães, gatos, pássaros, dar restos de pão para os peixes no lago da praça próxima da sua residência, dá uma alegria incomparável.

E quando o pai ou a mãe, por qualquer travessura, tentam repreendê-lo e ele, com aquele olhar de arrependimento, olha para você à procura de um consolo e você com olhar de cumplicidade o entende e o consola, incondicionalmente.

Quando essa criança está “caindo de sono”, abre os olhos e diz vovó ou vovô, você “se desmancha”.

Como disse o poeta: a mão dessa criança segura seus dedos e toca seu coração para sempre! O olhar meigo da neta ou neto prende de tal maneira que o avô e a avó ficam cativos desse gesto.

Escrevi este texto para homenagear meus três netos João Gustavo, Gabriel e Rafael.

João de Paula  30/08/2013
Maternidade Hoje, avô, neto

Imagem: Dária Ratliff

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s