Amamentação: minha experiência desde a primeira gravidez até o segundo filho

Um dos momentos mais felizes da minha vida foi quando meu segundo filho chegou no quarto da maternidade após o parto e mamou pela primeira vez. Com aquele bebezinho tão pequeno no colo, revivi todo o sentimento de alegria que foi amamentar o mais velho, ampliado pela felicidade da chegada do novo bebê. Amamentar é maravilhoso! Mas não é fácil, requer preparação, paciência e persistência.

Amamentação

Gravidez: a fase de preparação

Quando fiquei grávida pela primeira vez, a expectativa era ver a barriga crescer. Mas isso demorou para acontecer. Já os seios, esses sim, mudam com uma velocidade incrível. Tanto que a primeira peça de roupa de grávida que precisei comprar foram sutiãs novos. Isso mostra o quanto o corpo já se prepara para a amamentação, desde o início da gravidez. Minha obstetra recomendava fazer uma leve fricção diária com uma toalha, para tornar o mamilo mais resistente, orientação que foi seguida à risca. Nessa fase, também é importante estudar sobre o assunto, entender a pega correta, como segurar o bebê, etc. Leia e, se possível, faça um curso para gestantes na maternidade.

As primeiras semanas: as mais difíceis

As primeiras semanas são de aprendizado, tanto para mãe quanto para o bebê. No começo, amamentar dói, algumas pessoas sofrem bastante, outras menos. No meu caso, os dois primeiros dias foram muito tranquilos. No terceiro, quando o colostro foi substituído pelo leite, os seios ficaram inchados, vermelhos, quentes e doloridos. Também tive algumas rachaduras. A primeira grande dica é aproveitar os dias na maternidade para aprender com os médicos e enfermeiras sobre como amamentar corretamente. Seu médico também deve receitar uma pomada para as rachaduras. Nos primeiros dias com o bebê em casa, eu aproveitava o intervalo entre as mamadas para tomar um pouco de sol no seio, para ajudar na cicatrização. Quando as fissuras eram maiores, eu ficava com uma lâmpada apontada para o seio durante uns 15 minutos, também para ajudar na cicatrização. Às vezes usava a pomada, às vezes passava um pouco do próprio leite no mamilo como cicatrizante. No meu caso, essa fase passou rápido, a dor e os machucados foram embora e a amamentação logo se tornou um momento super feliz para mim e meu bebê.

Garantindo a produção

Vencido o aprendizado, vem a lua de mel com o neném: a amamentação é simples, a criança começa a dormir um pouco melhor e tudo flui mais fácil. Mas a responsabilidade é grande, afinal, nos primeiros meses sua produção de leite será (idealmente) o alimento exclusivo do seu filho. Na minha cabeça de engenheira, me imaginava como uma fábrica produzindo um produto. E para produzir direito, tem que tem energia e matéria prima de qualidade. É preciso comer bem: não faça dieta, mas coma alimentos saudáveis. Posso te garantir, como mãe de dois, que é possível voltar a sua forma sem fazer regime (papo para outro post). Muita gente recomenda comer isso, tomar aquilo, mas na minha experiência o que realmente faz a diferença na produção de leite é a água. Nos dias em que tomo pouca água, a produção cai muito. Fato! Tome bastante água e mantenha uma garrafinha por perto para se hidratar após as mamadas da noite.

A volta ao trabalho

Na volta ao trabalho, passei a tirar leite uma vez por dia. Era importante para que o bebê tivesse pelo menos uma mamadeira de leite materno para tomar durante o dia, mas também era fundamental para manter a produção. Temos um ambulatório na empresa, tentava passar lá todos os dias para isso. Usava (na verdade, ainda uso) o extrator elétrico da Medela, depois o leite ia para a geladeira e na hora de ir embora usava o porta mamadeira térmico da MAM. Nem sempre dava certo, mas consegui manter a amamentação por mais 5 meses depois da volta ao trabalho. Depois o leite foi secando, era tão pouquinho que achei que era hora de parar. Confesso: foi muito sofrido para mim, mas o neném se adaptou a dupla mamadeira/fórmula numa boa!

O segundo filho

Meu segundo filho nasceu mais ou menos um ano depois que parei de amamentar o primeiro. Fiz o trabalho de preparação do mamilo durante a gravidez, sem a mesma disciplina que tive na primeira gestação. Mas foi tudo muito mais fácil: a fase do aprendizado foi bem curtinha e não tive rachaduras dessa vez. Agora estou na batalha para manter a amamentação depois da volta da licença maternidade. Mesmo esquema de antes. Continua sendo um trabalho de persistência, mas como vale a pena! Cumpri a missão de 6 meses de amamentação exclusiva e deixei o legado de saúde para minhas crianças. E recebi de volta o amor de dois bebês encantadores. Tem coisa melhor?

Para quem quer saber mais, recomendo o blog do Dr Moises Chencinski #euapoioleitematerno

Um comentário sobre “Amamentação: minha experiência desde a primeira gravidez até o segundo filho

  1. Pingback: Roupas para gestantes: 7 peças chave para usar durante e depois da gravidez | maternidade hoje

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s