Mercado de trabalho,voltei!

 MERCADO DE TRABALHO VOLTEI

Muitas mulheres ao se tornarem mães optam a se dedicar apenas a maternidade, pelos dias estressantes de trabalho sem rotina e sem previsão de término, porque não conseguiram se dedicar o suficiente ao primeiro filho ou para “mergulhar” no seu maior sonho.

Independente do motivo é uma tarefa difícil entender qual a melhor opção, e não existe uma decisão correta e tampouco uma errada, o que ocorre é que cada uma de nós escolhe a que se adapta melhor aos nossos planos.

E então os filhos crescem, a profissional consegue estabelecer uma rotina e eles ficam mais independentes para realizar as tarefas cotidianas.

Surge então a necessidade de retomar sua carreira, neste momento muitas mães ficam preocupadas de que este tempo distante do mercado prejudique o retorno.

Quando definir se dedicar aos filhos, pense se pretende um dia retornar ao mercado de trabalho­, pois no decorrer de seu afastamento será necessário você tomar algumas atitudes para que seu retorno seja mais tranquilo:

Volta ao mercado de trabalho após maternidade

  1. Organize-se com calma– defina a rotina dos seus filhos e a sua e quem dará apoio a eles em sua ausência para que fique claro nas entrevistas que você está pronta para retornar ao mercado;
  2. Conhecimentos atualizados– realize cursos, workshops e palestras, para manter seus conhecimentos adequados às exigências do mercado de trabalho e contato com profissionais da área;
  3. Networking atualizado– mantenha contato com antigos colegas de trabalho e com pessoas que possam auxilia-la no retorno (amigos, parentes, conhecidos);

Algumas mães optam por mudar de área para que consigam ter uma rotina mais tranquila, com horários flexíveis e/ou definidos, caso este seja seu caso:

  1. Se prepare como no início da carreira- defina uma nova área de atuação e busque informações sobre ela, estude o mercado e faça cursos voltados ao novo setor;
  2. Atuar como Free Lancer- boa opção para que você tenha flexibilidade de horário e maior tempo com seus filhos;
  3. Abrir seu negócio– defina a modalidade, investimento, estude o mercado, faça um bom plano de negócios e de custos que envolverão sua empresa.

Caso você não defina inicialmente se retornará ou não ao mercado é sempre bom manter seu networking ativo e contato com seus ex-colegas de trabalho e buscar cursos e palestras afinal, conhecimento nunca é demais!

Tenha foco e paciência, pois mesmo que demore um pouco seu retorno será um sucesso!

Leia também:

Já pensou em estudar durante sua licença maternidade?

Escolinha/creche, babá ou vovó? Prós e contras

Madame Morena

A menina e a operadora de caixa do supermercado

Compartilhando uma história fofa mas ao mesmo tempo cheia de significado: Sophia, uma menina branca de dois anos de idade, escolheu uma boneca negra em uma loja. Quando a operadora de caixa comentou sobre a cor de sua pele e se ela não preferiria uma boneca que parecesse mais com ela, Sophia teve a resposta perfeita.

Essa é a tradução do post feito pela mãe de Sophia, Brandi Benner, no Facebook:

“Nick e eu dissemos a Sophia que, depois de um mês inteiro de cocô no peniquinho, ela poderia escolher um presente especial. Ela, é claro, escolheu uma boneca nova. Bonecas são uma obsessão. Enquanto estávamos no caixa, a operadora perguntou a Sophia se ela estava indo para uma festa de aniversário. Nós duas lhe demos um olhar vazio. Ela então apontou para a boneca e perguntou a Sophia se ela escolheu aquele presente para uma amiga. Sophia continuou a olhar fixamente e eu respondi que a boneca era um prêmio para Sophia pelo desfralde. A mulher me lançou um olhar intrigado e virou-se para Sophia e perguntou: – Tem certeza que é a boneca que você quer, querida? Sophia finalmente respondeu: “Sim, por favor!” A caixa disse: “Mas ela não se parece com você, temos muitas outras bonecas que parecem mais com você”. Eu imediatamente fiquei com raiva, mas antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, Sophia respondeu com “Sim, ela parece. É uma médica como eu sou uma médica. E eu sou uma menina bonita e ela é uma menina bonita. Vê seu cabelo bonito? E o seu estetoscópio?” Felizmente a caixa decidiu abandonar a questão e apenas responder, “Oh, isso é bom.” Esta experiência apenas confirmou minha crença de que não nascemos com a ideia de que a cor importa. A pele vem em cores diferentes, como o cabelo e os olhos e todas são bonitas.”
Sophia

Atenção plena (mindfulness) para pais e filhos

mindfulness.jpeg

Mindfulness é um termo atual, da moda. Mas o conceito é antiquíssimo: atenção plena, estar 100% presente no momento. A novidade é que a ciência começa a entender o efeito da atenção plena e como ela pode melhorar sua saúde, seus relacionamentos, seu desempenho no trabalho e como mãe / pai.

Um estudo da Universidade da Califórnia (UCLA) mostra que filhos de pais e mães que praticaram mindfulness por um ano também eram impactados significativamente. As crianças se davam melhor com seus irmãos, eram menos agressivas e tinham habilidades sociais melhores.

Já ao ensinar práticas de mindfulness para as crianças as ajuda a serem mais felizes, resilientes ao stress e terem melhor capacidade de manter atenção.

Kristen Race, PhD no tema, explica em uma palestra feita para o TED Talk algumas técnicas que, apesar de simples, prometem impacto profundo na vida tanto de pais quanto dos filhos. Vale a pena testar!

  • Respire atentamente: dedique entre 5 e 20 minutos de seu dia a respirar com atenção voltada à respiração em si. Quando vier algum pensamento à mente, simplesmente tente voltar a atenção para a respiração. Use a técnica com as crianças: nos momentos de agitação, abrace a criança e respire profundamente três vezes junto com ela.
  • Ouça atentamente: o objetivo aqui é praticar a atenção e o foco no que realmente importa (ao invés de se perder no meio dos milhares de estímulos que recebemos o tempo todo). Em um passeio com seus filhos, fiquem em silêncio por um minuto prestando atenção aos sons mais distantes, depois pergunte às crianças o que elas ouviram. Essa prática estimula que a atenção se volte ao momento presente.
  • Seja grato: para sobreviver aos perigos da natureza, nosso cérebro é de 3 a 5 vezes mais atento a informações negativas que às positivas. Estar atento ao lado bom da vida é um exercício que deve ser feito de forma consciente, até que se torne natural. Ser grato é uma excelente forma de exercitar a positividade. Pessoas gratas são mais saudáveis, motivadas e felizes. Crianças e adolescentes gratos têm melhor desempenho escolar, melhor integração social e são menos propensos à depressão. Kristen sugere que ao encontrar seus filhos após a escola, ao invés de perguntar “como foi seu dia?”, pergunte “quem foi um bom amigo para você hoje?” ou qualquer outra pergunta que incentive a criança a pensar em coisas ou pessoas que a fazem se sentir bem.

Respire, ouça, seja grato: não há contra-indicações!

mindfulness-para-pais-e-filhos

Ala, la ô ÔOOoo – É Carnaval

Muitas cidades e escolas já estão promovendo o grito de carnaval e na semana que vem começam as matinês! Tem ano que quero paz e sossego, fugir da bagunça, mas desde que o meu pequeno viu os ensaios do Bondindinho que passam na beira-mar tocando ao vivo marchinhas de carnaval da velha guarda, ele pirou. Quer porque quer saber, o que é esse tal de carnaval.

A Lella de Porto Alegre, é mãe de duas! Uma adolescente cheia de personalidade e da Cecília, que há pelo menos uns 4 carnavais ganha muita fantasia bacana. Ela adora trabalhos manuais, mas não sabe costurar. Então, inventa outras formas de criar fantasias para a caçula. Munida de TNT, cola quente e fita adesiva vermelha ela fez uma fantasia de pipoca e ovo frito que é sucesso garantido. Tudo confortável, barato e fácil de fazer! Ela compartilha essas e outras ideias no perfil @naoseicosturar do Instagram. Dá uma olhada:

Créditos: Mariella Taniguchi

Também dá para usar aquelas peças básicas do guarda roupa como jeans e camisetas coloridas com acessórios fáceis de fazer ou encontrar. Veja a sugestão da Hering Kids:

Morro de pena daquela criançada vestida, naquele calorão, com fantasias de tecidos quentes e cobertas da cabeça aos pés.A revista Parenting também já causou com as fantasias criativas! Já fiquei sonhando com um bloco de crianças iluminando a avenida.

 

 

screen-shot-2017-02-16-at-10-50-03-pm

Gostou das fantasias criadas pela Lella? Tem outra ideia bacana de fantasias fresquinhas e criativas para criançada se esbaldar nesse carnaval? Envia para nós, podemos compartilhar sua ideia nas redes sociais do MH!

 

Nasce uma mãe! E a profissional, como fica?!

nasce-uma-mae-e-a-profissional-como-fica

Quando o período de licença está terminando, as mulheres devem tomar uma difícil decisão: se dedicar integralmente ao bebê ou voltar ao trabalho e retomar a sua carreira?

A mulher se depara com um turbilhão de questões que a deixa culpada por sua decisão de retornar! Independente se você é ou não mãe de “primeira viagem”, fica sempre a dúvida de como voltar ao mercado de trabalho, pois “mãe é mãe”!

Algumas perguntas surgem: Como estabelecer uma rotina? Como deixar meu filho em uma escola que não conheço? Será que minha mãe ou a babá vão dar conta? E se o meu bebê ficar doente?

Se você está nesta fase, com este “dilema” em sua vida, saiba que você não está sozinha!

mae-no-trabalho

Não será fácil! Seus dias serão bem corridos, mas tenha certeza de que é possível conciliar seu bebê, marido, casa e carreira. Tudo se tornará um hábito, uma rotina e só basta você se organizar!

Prepare-se para este momento: Entenda que ficar pouco tempo com seu pequeno não significa ama-lo menos, mas sim dar melhores condições e maior conforto para ele, além da sua realização pessoal, que é muito importante para que consiga viver a maternidade com uma felicidade plena!

Algumas dicas são importantes para que você prepare seu retorno com tranquilidade e com a certeza de que seu filho será bem cuidado, amparado e que terá tempo para se dedicar a ele quando voltar do trabalho:

Primeira dica: Estabelecer horários- calcule o tempo que levará para fazer o percurso de ida e volta para seu trabalho, para conseguir estabelecer os horários da sua rotina e a do bebê, que deve ser determinada antes do retorno!

Segunda dica: Seguir uma rotina- para o bebê é muito importante manter uma rotina, mas você perceberá que para você também será essencial para que consiga conciliar o trabalho e os cuidados com o seu filho. Pense na rotina que adotará ao acordar, os horários de levar e buscar seu filho e quem irá faze-lo, quando chegar em casa como será sua rotina. Depois que seu bebê dormir você deve reservar pelo menos meia hora para você, isso é muito importante, programe-se!

Terceira dica: Verificar a flexibilidade da empresa- avalie se existe a possibilidade de repor os horários que precisar se ausentar (avisando com antecedência sempre que possível e evitando abusos é claro!). Você só poderá se ausentar frente a alguma emergência, por isso pense em alternativas, em pessoas que poderão auxilia-la caso seu filho fique doente ou se precisar levar ele em algum lugar, pois imprevistos acontecem! Pedir ajuda nestes momentos é essencial!

E por último e mais importante: mantenha a calma- ficar tranquila é importante para que você consiga organizar sua rotina, pensar em alternativas eficazes e principalmente “se acostumar” com a ideia de estar longe do seu bebê por boa parte do dia. Faça o momento mais maravilhoso e especial de sua vida ser único, mas perceba que ter uma carreira saudável e repleta de oportunidades é possível e não será prejudicial ao seu filho!

4 Dicas para a Volta da Licença Maternidade


Vanessa Mello é formada em Psicologia e com Especialização em Modelo de Gestão e Clima Organizacional, Diretora da Novarum Consultoria em Recursos Humanos e mãe do Kaique.

www.novarumconsultoria.com.br